Apólogo

Apólogo

"O velho Torquato dá relevo ao que conta à força de imagens engraçadas ou apólogos. Ontem explica o mal de nossa raça: preguiça de pensar.
E restringindo o asserto à classe agrícola:

- Se o governo agarrase um cento de fazendeiros dos mais ilustres e os trancasse nesta sala, com cem machados naquele canto e uma floresta virgem ali adiante; e se naquele quarto pusesse uma mesa com papel, pena e tintas, e lhes dissesse:
"Ou vocês pensam meia hora naquele papel ou botam abaixo aquela mata", daí cinco minutos cento e um machados pipocavam nas perobas!... "

(Monteiro Lobato - Cidades Mortas)

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A praia voltou!!!

TODASEMANA: DEITA NO CIMENTO!



Pra quem não sabe, a praça que contem vários chafarizes sempre foi local de muita diversão para a criançada que mora nas ruas de BH.
Talvez por este motivo o estar incomodando, em nove de dezembro de 2009 o prefeito de Belo Horizonte baixou decreto proibindo quaisquer eventos na Praça da Estação (praça no hipercentro de BH); a reação popular imediata foi a praia.

A manifestação é contra a arbitrariedade do decreto do prefeito Márcio Lacerda, que proíbe “eventos de qualquer natureza” na praça da estação, com a intenção de promover o debate público sobre a questão, a proposta é que a praça da estação se torne praia semanalmente.

Segue links da Praia da Estação no youtube:

Música tema:
http://www.youtube.com/watch?v=4mEzQrF6v0M

"Ei, polícia, a praia é uma delícia!"
http://www.youtube.com/watch?v=zdhXAH1LeuY

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

5ª semana dos Direitos Humanos - Iguais na diferença

Nos 62 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos,
Belo Horizonte-MG foi escolhida para sediar
a 5ª Semana dos Direitos Humanos: Iguais na Diferença

Seminários, Oficinas, Feira, Atividades em toda cidade, Debates e Shows.

Confira a programação e as atividades de todos os dias


No site: http://iguaisnadiferenca2010.com.br/


Grande show dos Direitos Humanos, com apresentação de vários artistas da cena nacional
Horário: 17h30
Local: Praça da Estação – Centro – Belo Horizonte
Em homenagem a Milton Nascimento, sob o comando de Antonio Nóbrega, o evento reunirá no palco vários convidados de todas as vertentes da MPB.
Além das apresentações de Antonio Nóbrega, Arnaldo Antunes, Chico César, Elba Ramalho, Elza Soares, Fernanda Takai, Lenine, Lô Borges, Luiz Melodia, Margareth Menezes e Sérgio Ricardo, o show contará com participação especial de Pablo Milanés

IV Encontro de Comunidades de Resistência: Por Uma Nova Maioria

Do site: http://brigadaspopulares.blogspot.com/2010/11/iv-encontro-de-comunidades-de.html

As Brigadas Populares realizará, nos dias 11 e 12 de dezembro de 2010, o IV Encontro de Comunidades de Resistência, que é um espaço autônomo de organização popular com o objetivo de ampliar e fortalecer a organização e a luta dos setores sociais historicamente marginalizados. Neste ano o IV ECR terá como tema central a construção de uma NOVA MAIORIA, da qual entendemos ser a capacidade dos setores populares organizados tomarem pelas mãos a transformação social. Para tanto, compreendemos como fundamental articulação dos movimentos sociais e organizações políticas no intuito de somarmos força e contribuir nesta construção.
É nesse sentido que as Brigadas Populares o/a convida para participar nosso IV Encontro de Comunidade de Resistência - ECR.

Dias: 11 e 12 de dezembro de 2010
Local: Colégio Pio XII - Av. do Contorno, 8902 – BH
(esquina com a Av. Amazonas, no bairro Santo Agostinho)

Organização e realização: Brigadas Populares

Faça sua inscrição:
ivecr2010@gmail.com

terça-feira, 30 de novembro de 2010

FESTA!!!

Traga seu balde, suas roupas, sua bandeira.

Entre os dia 1º e 03 de dezembro, BH sediará a XV Cúpula de Mercocidades - no Palácio da Artes.

Por uma maior participação dos belo-horizontinos, no intervalo do dia 02/12 as 18hs, em frente ao palácio das Artes "a cidade também quer discutir a cidade":

domingo, 28 de novembro de 2010

"Quem dera houvesse, como nas favelas, só 1% de criminosos nos parlamentos e no Judiciário"

Do site "Vi o Mundo": http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/marcelo-freixo-nao-havera-vencedores.html

Marcelo Freixo: Não haverá vencedores

Pode parecer repetitivo, mas é isso: uma solução para a segurança pública do Rio terá de passar pela garantia dos direitos dos cidadãos da favela
por Marcelo Freixo, na Folha de S. Paulo, via Vermelho
Dezenas de jovens pobres, negros, armados de fuzis, marcham em fuga, pelo meio do mato. Não se trata de uma marcha revolucionária, como a cena poderia sugerir em outro tempo e lugar.
Eles estão com armas nas mãos e as cabeças vazias. Não defendem ideologia. Não disputam o Estado. Não há sequer expectativa de vida.
Só conhecem a barbárie. A maioria não concluiu o ensino fundamental e sabe que vai morrer ou ser presa.
As imagens aéreas na TV, em tempo real, são terríveis: exibem pessoas que tanto podem matar como se tornar cadáveres a qualquer hora. A cena ocorre após a chegada das forças policiais do Estado à Vila Cruzeiro e ao Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro.
O ideal seria uma rendição, mas isso é difícil de acontecer. O risco de um banho de sangue, sim, é real, porque prevalece na segurança pública a lógica da guerra. O Estado cumpre, assim, o seu papel tradicional. Mas, ao final, não costuma haver vencedores.
Esse modelo de enfrentamento não parece eficaz. Prova disso é que, não faz tanto tempo assim, nesta mesma gestão do governo estadual, em 2007, no próprio Complexo do Alemão, a polícia entrou e matou 19. E eis que, agora, a polícia vê a necessidade de entrar na mesma favela de novo.
Tem sido assim no Brasil há tempos. Essa lógica da guerra prevalece no Brasil desde Canudos. E nunca proporcionou segurança de fato. Novas crises virão. E novas mortes. Até quando? Não vai ser um Dia D como esse agora anunciado que vai garantir a paz.
Essa analogia à data histórica da 2ª Guerra Mundial não passa de fraude midiática.
Essa crise se explica, em parte, por uma concepção do papel da polícia que envolve o confronto armado com os bandos do varejo das drogas. Isso nunca vai acabar com o tráfico. Este existe em todo lugar, no mundo inteiro. E quem leva drogas e armas às favelas?
É preciso patrulhar a baía de Guanabara, portos, fronteiras, aeroportos clandestinos. O lucrativo negócio das armas e drogas é máfia internacional. Ingenuidade acreditar que confrontos armados nas favelas podem acabar com o crime organizado. Ter a polícia que mais mata e que mais morre no mundo não resolve.
Falta vontade política para valorizar e preparar os policiais para enfrentar o crime onde o crime se organiza – onde há poder e dinheiro. E, na origem da crise, há ainda a desigualdade. É a miséria que se apresenta como pano de fundo no zoom das câmeras de TV. Mas são os homens armados em fuga e o aparato bélico do Estado os protagonistas do impressionante espetáculo, em narrativa estruturada pelo viés maniqueísta da eterna “guerra” entre o bem e o mal.
Como o “inimigo” mora na favela, são seus moradores que sofrem os efeitos colaterais da “guerra”, enquanto a crise parece não afetar tanto assim a vida na zona sul, onde a ação da polícia se traduziu no aumento do policiamento preventivo. A violência é desigual.
É preciso construir mais do que só a solução tópica de uma crise episódica. Nem nas UPPs se providenciou ainda algo além da ação policial. Falta saúde, creche, escola, assistência social, lazer.
O poder público não recolhe o lixo nas áreas em que a polícia é instrumento de apartheid. Pode parecer repetitivo, mas é isso: uma solução para a segurança pública terá de passar pela garantia dos direitos básicos dos cidadãos da favela.
Da população das favelas, 99% são pessoas honestas que saem todo dia para trabalhar na fábrica, na rua, na nossa casa, para produzir trabalho, arte e vida. E essa gente — com as suas comunidades tornadas em praças de “guerra”– não consegue exercer sequer o direito de dormir em paz.

Quem dera houvesse, como nas favelas, só 1% de criminosos nos parlamentos e no Judiciário…

*Marcelo Freixo é deputado estadual (PSOL-RJ), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Márcio Lacerda privatiza 81 bens públicos de Belo Horizonte

DO SITE: http://agenciabrigadista.blogspot.com/2010/11/lacerda-privatiza-81-bens-publicos-de.html

"Está no noticiário, mas ninguém parece ter se dado conta da importância do fato nesta cidade de imprensa submissa: o prefeito Márcio Lacerda (PSB) vai promover a maior privatização de bens públicos que Belo Horizonte e talvez qualquer cidade brasileira já viu. Serão 81 imóveis municipais, que irão a leilão, inclusive o Mercado Distrital da Barroca e a mansão residencial do prefeito, localizada às margens da Lagoa da Pampulha, próximo do Museu de Arte, e que tem um painel de Guignard. A informação é que o painel será retirado, mas até que isso aconteça, é melhor desconfiar.

O pior, porém, é ver dezenas de terremos desocupados, com tamanhos variando entre 1 mil e 10 mil metros quadrados, segundo notícia do Estado de Minas, se transformarem em mais espigões. Se tem uma coisa de que Belo Horizonte não precisa hoje é que áreas públicas se transformem em empreendimentos imobiliários. Muito melhor seria ver esses lotes virarem praças e parques, para lazer da população, com muitas árvores para ajudar a despoluir o ar. Ao contrário do que se diz, Belo Horizonte tem pouquíssimas áreas verdes; tem muitas árvores, mas elas estão nos passeios.

Para piorar a situação, o prefeito gosta de privatizar espaços públicos, como fez com a Praça da Estação, cujo uso agora só se dá mediante pagamento de aluguel. E gosta também de transformar áreas verdes em empreendimentos imobiliários, como está fazendo com a Mata do Isidoro, que será transformada na Vila da Copa, visando a abrigar delegações para a Copa da Fifa.

A privatização dos espaços públicos será certamente a marca do mandato do prefeito empresário, que tenta administrar Belo Horizonte como uma empresa: o que não dá lucro – cultura, por exemplo – não tem serventia. Não à toa recebeu vaia monumental do maior auditório da cidade, o Palácio das Artes, durante o Festival Internacional de Teatro (FIT), em agosto passado. Já tinha passado por isso na festa de encerramento do festival Comida di Buteco, em maio.

Empresário da cidade, o prefeito atua como auxiliar do capital, que destrói rapidamente todos os espaços vazios da cidade, derruba casas, escolas e até clubes – como acontecerá, ao que tudo indica, com o centro de lazer do América, no Bairro Ouro Preto – para erguer no lugar enormes edifícios.

É dever da prefeitura conter a especulação imobiliária, em defesa da qualidade de vida para os belo-horizontinos. Em vez disso age ela também a favor da deterioração do município. A intenção, diz a notícia, é fazer um caixa de R$ 200 milhões. O mercado vale no mínimo R$ 19,5 milhões; a casa do prefeito, R$ 1 milhão (só? Este é o preço de um apartamento na zona sul…). O governo FHC mostrou o que acontece com dinheiro de privatizações: desaparece sem trazer nenhum benefício social.

É incrível que nenhum representante dos belo-horizontinos, nenhum vereador, nenhuma organização da sociedade tenha ainda se levantado contra a realização desse crime contra o patrimônio público, movendo, inclusive, uma ação na justiça."

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Carlos Alberto Cândido *

Para Agência de Notícias Brigadistas

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Contra as remoções forçadas, em luta pelo Direito à Cidade! DENUNCIAMOS A POSSIBILIDADE DE UM MASSACRE CONTRA O POVO SEM-TETO DE BH!




OCUPAÇÕES ORGANIZADAS PELAS BRIGADAS POPULARES ENCONTRAM-SE HOJE AMEAÇADAS DE DESPEJO! DENUNCIAMOS A POSSIBILIDADE DE UM MASSACRE CONTRA O POVO SEM-TETO DE BH!
CONTRIBUA, ORGANIZE-SE.

Manifestação em defesa das comunidades ameaçadas de despejo forçado

A capital de Minas Gerais poderá ser palco de um verdadeiro massacre contra milhares de famílias que vivem nas comunidades Camilo Torres (Barreiro), Irmã Dorothy I (Barreiro), Irmã Dorothy II (Barreiro), Conjunto Águas Claras (Barreiro), Dandara (Céu Azul), Recanto UFMG (av. Antônio Carlos) e Torres Gêmeas (Santa Tereza). O tribunal de Justiça de Minas Gerais, ofendendo as leis e a própria Constituição, determinou que a Polícia Militar jogasse nas ruas as famílias que moram nessas ocupações, demolindo suas casas, sem oferecer nenhuma alternativa digna. Por outro lado, a prefeitura e o governo estadual lavaram as mãos como se não tivessem nada a ver com o problema habitacional e com a penúria em que vive o povo pobre de periferia. Resumindo, as autoridades mineiras tratam a luta das organizações populares e dos movimentos sociais como caso de polícia, negando-se ao diálogo e ao entendimento. Diante disso, na sexta-feira – dia 05/11 às 16 horas concentração na Praça Sete em Belo Horizonte faremos um ato em defesa das comunidades ameaçadas.

Neste dia será lançado o Manifesto em defesa das comunidade ameaçadas de despejo forçado. Segue em anexo convocatória e o manifesto.

Contra as remoções forçadas, em luta pelo Direito à Cidade!
FORÚM PERMANENTE DE SOLIDARIEDADE ÀS OCUPAÇÕES_BH

Contatos: solidariedadeocupacoesbh.wordpress.com

Para assinar o manifesto envie um e-mail para: solidariedadeocupacoesbh@gmail.com

Apoie essa causa você também!

Participe!

domingo, 31 de outubro de 2010

BRASIL: Primeira mulher presidindo o país

Na década de 60 e 70 um Golpe Militar abrange o país, juntando forças de dominação com o capital estrangeiro, grande parte da Igreja e a fala ditatorial de proteção à família, à moral, a ordem e ao progresso nos levou a uma maior desigualdade.
Após 500 anos de colonização, de exploração, de escravidão, de mercantilização, o país demonstra uma forma de evolução, de resistência a este tipo de pensamento..
Os brasileiros herdeiros deste cenário elegem um metalúrgico, um operário representante da ala trabalhadora.
Hoje podemos ver um país em emancipação que já consegue enxergar que a manipulação da mídia, a fala mansa de proteção aos bons costumes, são as mesmas formas de dominação desde que o país foi colonizado.
Hoje é um dia de parabenizar esta emancipação mental.
Educação e conscientização é uma das heranças deixadas pelo governo Lula e é por esta conscientização que hoje elegemos a primeira MULHER a presidir este país, e vinda também dos braços dos trabalhadores.

Mais uma vitória deste país ainda tão desigual na história, na memória, e na amplidão de sentidos. Vamos traçar um caminho que nos leve a uma desigualdade ainda menor.


PARABÉNS, DILMA ROUSSEF.

(Luara)

sábado, 30 de outubro de 2010

Assista ao vídeo sobre a ocupação Torres Gêmeas, de Belo Horizonte

Assista ao vídeo sobre a ocupação Torres Gêmeas, de Belo Horizonte
Assista abaixo ao vídeo sobre a ocupação Torres Gêmeas, em Belo Horizonte (MG), que está ameaçada de despejo junto com a ocupação Dandara . No dia 8 de outubro, a relatora especial Raquel Rolnik visitou as comunidades e conversou com os moradores.

http://direitoamoradia.org/pt/noticias/blog/notcias-dos-movimentos-sociais/2010/10/25/assista-ao-vdeo-sobre-a-ocupao-torres-gmeas-de-belo-horizonte/

ou

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=_ccw1d8jud8

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

E quando perguntaram à Direita qual revolução eles temiam, ouviu-se a resposta: A revolução da educação.

MST forma primeira turma de Letras no Pará


"28 de outubro de 2010
Por João Márcio
Da Página do MST


Aproximadamente 30 alunos dos assentamentos e acampamentos do MST no Pará defenderam seus trabalhos de conclusão do curso de Letras, nesta última semana de outubro, na Universidade Federal do Pará (UFPA), Campus I-Marabá.
Fomentado pelo Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), em parceria com a UFPA e MST, é a primeira turma de Letras formada, que contempla um grupo de educadores (as) do MST no Estado. "
Leia mais: http://www.mst.org.br/node/10819

"Muda, que quando a gente muda
o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
...
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro"

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ANAIS POLÍTICOS: GLOBO VALORIZA A EDUCAÇÃO

"O mesmo grupo dos Marinho que toda semana martela sobre educação, seja com a sra. Leitão falando pela manhã no "chique" Bom Dia Brasil, seja em seus Telecursos; é o que sabota o Plano Nacional de Banda Larga, que poderia tirar da escuridão todas as crianças das zonas mais pobres do país, seja nas escolas das periferias e dos sertões, seja nas casas através de seus computadores adquiridos com subsídio governamental.

E que não venham dizer que é uma mera questão econômica. Que a Globo e seus parceiros não são contra a educação. São apenas contra o fato de que eles não ganhem nada com isso. Ora, se os miseráveis do Brasil não podem pagar pela banda larga, como de fato não podem, sabotar a banda larga é apoiar a educação? É meramente uma questão econômica?

Na visão da decadente elite brasileira, pobre deve ter somente o tanto de educação que lhes permita ler e escrever, para não errar na hora de misturar o ingrediente na comida ou tomar o ônibus errado e chegar atrasado no trabalho. Este escriba já ouviu proeminentes jornalistas curitibanos criticando a quota para alunos pobres, nas Universidades Federais. Disseram em alto e bom tom, para quem quisesse ouvir, na CBN que era um "absurdo". Se a classe média dá um duro danado para seus filhos irem a um cursinho para poder frequentar a faculdade Federal, como pode agora o Governo querer reservar metade das vagas para quem é pobre?

Não entra na cabeça destes senhores que se a classe média à qual eles pertencem (média especialmente em cérebro), que, se os filhos deles têm direito ao estudo, os pobres também têm. E se eles podem pagar um cursinho, talvez possam pagar uma faculdade particular. Os pobres não podem nem pagar o cursinho, nem a universidade privada. Ou seja, danem-se os pobres. Não têm nem nunca terão nada enquanto isso significar tirar algum privilégio destes senhores.

O que é isso? É ser a favor da educação?

Quantas vezes a mídia, especialmente Folha, estadinho e Globo criticaram todas as iniciativas governamentais da esquerda de dar escola e universidade ao povo? Sempre tudo era uma questão de custo. Custo para os ricos é investimento. Para os pobres é desperdício, é incentivo à vagabundagem.

Neste mesmo blog (Anais Políticos) já foram contadas algumas pérolas sobre o que pensa nosso cidadão mediano. Ele talvez não consiga chegar ao topo então, também não permitirá que o pobre se aproxime dele. É meio coisa do ser humano, querer se sentir especial, nem que seja sobre a miséria de outro.

Se eu não tenho nada, você também não pode ter.

Educação para uma certa elite do Brasil, é mero discurso para ganhar voto e simpatia. Pobre na verdade tem que continuar a ser bibelô de Ana Maria Braga para ser mostrado como curiosidade, como animal na jaula do zoológico, em seus programas transmitidos direto da zona da miséria.

Pobre contamina. Talvez por isso Serra tenha gravado seus programas do primeiro turno em uma favela montada em estúdio. Que Deus o perdôe se entrar em uma favela real.

Deveriam derrubar a máscara. Fazer como está fazendo a cada dia mais a revista Veja. Mostrando realmente quem é e o que pensam os donos do poder."

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

SEMANA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL




"Toda criança possui os mesmos direitos, sem nenhuma discriminação por raça,
cor, sexo, língua, religião, país de origem, classe social ou riqueza.
Toda e qualquer criança do mundo deve ter seus direitos respeitados!!!"



especialmente amados, igualmente respeitados!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

RESPOSTA À JABOR - TEXTO PERDÍVEL.

Recebi um e-mail, desses e-mails indesejados com um suposto texto de Arnaldo Jabor intitulando: Arnaldo Jabor – como sempre Imperdível: “Abre o olho Brasil!”
Segue:
  
ABRE O OLHO, BRASIL!!
ARNALDO JABOR

- Brasileiro é um povo solidário.

- Mentira!
Brasileiro é babaca.
Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;  pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;
Aceitar que ONGs de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade. Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária. É coisa de gente otária.

EM RESPOSTA:

Em resposta à Arnaldo Jabor, o poeta do óbvio!

1- Querido Jabor, eu não me considero babaca por fazer parte da parcela da população que elegeu Lula - por duas vezes - e também, não encontro ligação na incansável argumentação da Elite tucana ao frisar a falta de escolaridade de Lula.
O mesmo discurso foi usado na eleição de Lula x Collor.
Elegemos Collor, o mais bem preparado, qualificado, escolarizado e... deu no que deu.
Babaca pra mim é quem se apega ao currículo sempre escancarado pela Direita golpista e ignora a história de lutas deste país.

Pagar 40% de tributos e ainda dar esmola é a representação maioral da classe média brasileira que, por ainda pagar dívidas deixadas pela Ditadura Militar e por não perceber arroubos deixados até então, convive com a miséria e segregação desde quando os primeiros latifundiários pisaram aqui e decretaram que terra seria mercantilizada, venderam e expulsaram os miseráveis pras periferias e hoje convivemos com este cenário.
Seus amiguinhos da bancada ruralista são os que ocupam as cadeiras do parlamento em uma porcentagem de quase 60%. A minoria compõe maioria no poder. Então, se quer cobrar de alguém, já sabe quem são os babacas que nos deixam nesta situação.

É por tratar de Direito HUMANO que ONGs dão ‘pitaco’ na criminalidade. Em criminologia, temos que analisar além do crime, o criminoso.
Uma visão diferente disso e completamente positivista é míope e só enxerga um prisma: O de cima para baixo.
Babaca é quem não percebe isso.

Se fôssemos protestar por colchões, deveríamos protestar sobretudo, de que forma o governo estabelece um sistema prisional completamente falido, desde o incentivo à violência dentro dos presídios, até a corrupção dos próprios agentes e a forma como estes também são pressionados.
Aí mexeríamos na revista à família do preso e uma série de artigos constitucionais que são violados. Por exemplo, a presunção de que um parente do preso também seria uma pessoa perigosa e, desta forma também deve passar por constrangimento ilegal, tendo seu corpo muitas vezes violado.
Ah! Isso é Direitos Humanos, quem se importa?
Só os babacas mesmo.
 

- Brasileiro é um povo trabalhador.

- Mentira!

Brasileiro é vagabundo por excelência.
O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo. O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.
Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários da bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

2- Sabe por que brasileiro pra você é vagabundo, Jabor?
Porque a emissora a qual o senhor serve - e serve muito bem, demonstra uma realidade muito bem pensada em suas telenovelas em que todos são vagabundos e ganham a vida assim.
Os vilões trapaceiam e viajam para Nova York.
E o nosso povo, Jabor, assiste à Big Brothers em que as pessoas são maquiavelicamente preparadas pra não fazerem nada e não falarem absolutamente nada fora da completa futilidade e após três meses recebem um milhão de reais.
Esta é a forma que a maior formadora de opinião do Brasil (e só no Brasil existe um absurdo desses) manipula a população a ser vagabunda.
Inspira vagabundisse em todos os seus programas.

3 - O Bolsa Família não é solidariedade é um dever do Estado, meu caro.
Betinho já dizia: "quem tem fome, tem pressa".
É um estado de calamidade estarmos entre países considerados medianos e as pessoas ainda morrerem de FOME.
Parem de vislumbrar o bolsa família como uma ajudinha do presidente Lula. Este programa não passa de uma obrigação do Estado.
A elite quer demonstrar que isso é esmola e que "gente esperta" é aquele que sai do nada e vence na vida. Mas não te estende a mão porque pobre bom, é pobre morto mesmo. Ou no máximo um pobre que não pensa porque aí é fácil manipular com as telenovelas e tudo mais.

- Brasileiro é um povo honesto.

-Mentira!

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.
Se
você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso. Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas. O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.


4 - Sabe por que este povo é desonesto , Jabor?
Porque com um salário de 500 reais você não tem acesso à moradia e nunca terá.
Então quando você exerce seu direito de possuir uma terra e dar a esta função social, ao invés de comprá-la, a elite te chama de vagabundo e baderneiro.
Por que você está ferindo sabe qual direito? O direito da própria elite de poder mais e mais e você poder cada vez menos.
Porque o mundo é isso aí.
Foi estabelecido desde antes da colonização que os negros não tinham alma, então poderíamos escravizá-los. Estabeleceu-se que o índio que se revolta é porque é preguiçoso e não quer trabalhar pro seu nobre senhor.
E os senhores de terra eram escolhidos por Deus para assim comandarem este pessoal.
Contra Deus não há argumentos não é?
É esta a
história da desonestidade meu caro.
A maior desonestidade que há é a desigualdade pregada.

 

- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora.

-Mentira!

Já foi. Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da Guerra do Paraguai ali se instalaram. Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha alternativa e não concordava com o crime. Hoje a realidade é diferente. Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal. Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3 mas não milhares de pessoas. Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.


5- Ô Jabor, você já pisou numa favela?
Você sabe a conseqüência de "ajudar a polícia a desmascarar os bandidos" como você citou?
Isso tem nome meu filho: X9.
O X9 é aquele que denuncia o tráfico, ou o que faz o "leva e traz", e me fala quem ta com disposição de morrer pra ajudar a polícia?
E ajudar a polícia por quê? A polícia na maioria dos casos é quem auxilia o tráfico, quem recebe por isso, facilita e faz vista grossa pra também ganhar o seu.
Por uma série de fatores sociológicos e psico-sociais.
Porque assim como a maioria dos favelados, também não teve acesso à educação, ou porque ganham muito mal, porque são mal instruídos e porque verificam que também querem o luxo que a TV apresenta nas novelas e tudo mais.
A manipulação, a violência e o oportunismo é vendido pela emissora que você trabalha e se vende meu caro.
 
- O Brasil é um pais democrático.

- Mentira! Num país democrático a vontade da maioria é Lei. A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi "executado friamente". Num país onde todos têm direitos, mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia. Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.
Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores). Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.


6 - Pela primeira vez terei que concordar com você: realmente não vivemos uma democracia.
mas seu discurso de ‘LEI, E APENAS LEI’ é quase apavorante e nos aproxima da Ditadura em que mais uma vez: Quem tem poder manda, quem não tem, obedece.
Coisa criada por toda esta estrutura desigual que temos e que o senhor concorda em mantermos.
Sim, vivemos num regime feudal, é o regime das leis meu caro, esta que mencionou. Você quer que se cumpra ou não?
Não entendi seu posicionamento.
 


O famoso jeitinho brasileiro
Em minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.
Brasileiro se acha malandro, muito esperto.
Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.
No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?
Afinal somos penta campeões do mundo né?
Grande coisa...


7 - Se o brasileiro faz “gatos” e se acha esperto é porque os grandes subornam impostos e se acham espertos.
Um buraco que estes causam à economia da população faz com que os "pequenos" se vejam obrigados a fazer gatos sim.
Não vale cobrar honestidade somente de baixo pra cima.
Se a situação fosse boa ninguém faria gato.
Viver com o mísero salário que este pessoal recebe, tem que realmente ser muito esperto, tem q ser grande administrador, pra tirar de uma caixinha dinheiro suficiente pra pagar imposto tão alto, moradia, transporte, saneamento, LUZ, e olha que o
Serra ainda nem ganhou porque se ganhar, pagarão também pelos serviços de tudo que for privatizado.
Preso agora passará a dar lucro, saúde será privatizada e teremos sempre que PAGAR pra receber coisas obrigatórias.
É o que o capitalismo quer mais e mais implantar: A compra de tudo, inclusive de direitos!
E quando ocorre de o governo fazer projetos de encaminhamento de verba, as pessoas confundem com solidariedade, já que TUDO, absolutamente TUDO aqui é pago!

 

O Brasil é o país do futuro.
Caramba, meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.
Dessa vergonha eles se safaram...
Brasil, o país do futuro!?
Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.


8 - Quanto à "uma das piores taxas de crescimento do mundo", eu não sei o que é crescimento pra você. Para mim, a classe D ter passado pra classe C, as pessoas terem acesso à carne no almoço, as crianças terem acesso à escola, os universitários pobres terem acesso ao Pro Uni (visto a situação que FHC deixou nossas universidades) enfim, tudo isso pra mim é crescimento substancial.
Para você pode ser que crescimento seja estatísticas “pra Inglês ver”.
Então, não estamos falando da mesma coisa.
 

O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.

 


9 - Arnaldo Jabor, que jornal e manchete o senhor está lendo?
Porque eu não consigo abrir um jornal que esteja falando bem do governo, sabe por que?
Porque a editora Abril faz parte do grupo do chamado PIG (partido de imprensa golpista), aliada à Rede Globo, aos partidos elitistas e estão fazendo de tudo pra criminalizar movimentos, os partidos de esquerda e pra diminuir o PT.
 
Deus é brasileiro.
Puxa, essa eu não vou nem comentar...


10- O seu Deus, Jabor, pode ser do país que você quiser, escolhe aí: Inglês? francês?
Um cara bem chique, bem mandão, com um cajado na mão, governando a todos somente com a Lei, e sem Direitos Humanos.

Deus pra maioria dos brasileiros, é um cara que andou descalço, pisou no chão e falou pro povo, este cara deve ter sido brasileiro mesmo, porque acreditou na Utopia e caminhou a ela contra todos os SENHORES DA LEI de seu tempo. 
 
 Para finalizar tiro minha conclusão:

O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse texto, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente.
Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta. Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão. Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!


11 - Sabe o que o brasileiro não merece Jabor?
Você.

Luara Colpa

Belo Horizonte, outubro de 2010



Ives Gandra em VISÃO TENDENCIOSA E ELEITOREIRA, sem fundamentação jurídica, sob o respaldo do senso comum, fala ao eleitorado de Serra.

"Apesar da ânsia de vômito, vale à pena conhecer a grotesca "entrevista": "

"Ditadura - Ives Gandra Martins, 'grande jurista', alerta! "
http://www.youtube.com/watch?v=gpjTD5asFvg

Em uma resposta pessoal, em breve relato eu frizo alguns pontos:

1- Sobre a reintegração de posse, o direito de propriedade não passa para o ocupante, passa o direito de POSSE que é absolutamente outra coisa.
Sendo possuidor permanente aquele que cumpr...ir o que o proprietário não cumpriu: A FUNÇÃO SOCIAL DA TERRA.Mais do que certo na minha opinião, terra não deveria ser mercadoria e é o único bem sem renovação.
Sendo assim, não cabe mais termos terras paradas só pq um proprietário QUER.


2- Discordo quanto à símbolos religiosos, o Decreto não menciona nada sobre nome de ruas e costumes, mas tão somente a retirada de crucifixos de Tribunais.
Até pq o Sistema é LAICO e, assim sendo, deveria respeitar todas as pessoas e seus diferentes credos.
Pq impor o Cristianismo dentro de um Tribunal?
Vc está sendo julgado por homens ou pelo próprio Cristo alí naquele instante?
E um cara q não acredita em Cristo?
Pq não pendura iemanjá, Ogum, Oxóssi, todo mundo lá na parede???

3 - Impostos sobre grandes fortunas sim, este é um dos projetos mais bem elaborados de lei. A porcentagem de impostos não pode ser a mesma... 20% de um cara q ganha 500 reais é de um peso mto superior uai.
E sobre o patrimônio pessoal, pois trata-se de pessoa física, eu hein?!

4-  QUANTO À PROSTITUIÇÃO:

A constituição e os tratados internacionais garantem o direito fundamental à liberdade de profissão, de modo que “é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais ...que a lei estabelecer” (art. 5º, inc. XIII, da CF/88);

Não é preciso de lei para proibir a violência contra as prostitutas ou para reconhecer os seus direitos básicos, pois a constituição já garante isso. Se esses direitos não são respeitados é por uma interpretação discriminatória da legislação em vigor e não pela falta de norma jurídica. Portanto, não é preciso lutar pela legalização da prostituição, mas pela NÃO DISCRIMINAÇÃO. Hoje, a discriminação ocorre numa clara afronta da constituição e vem tanto da sociedade quanto do estado.

Enfim, do ponto de vista político/sociológico, talvez estabelecer condições decentes de trabalho nos prostíbulos e fiscalizando rigorosamente a observância dessas condições, é uma opção razoável, analisando estritamente sob a ótica da dignidade das mulheres/homens que se prostituem.

O fato de a exploração da prostituição ser criminalizada, na minha ótica, não retira das prostitutas que trabalham para terceiros os direitos trabalhistas e previdenciários básicos. A prostituição em si não é crime. Por isso, não se pode falar em “ilicitude do objeto” da atividade laboral para negar às prostitutas os seus direitos decorrentes da relação trabalhista em que estão inseridas.

5-  QUANTO À DITADURA MILITAR:

O que se quer resgatar sobretudo é o dano causado à SOCIEDADE se bem me lembro no decreto.
Existe uma grande diferença entre reparar um bem individual e um coletivo
Quem esteve "no banco dos réus" foi a sociedade e é... à ela que os militares têm uma dívida histórica gigantesca.
Uma forma do Brasil desculpar-se pelo ABUSO DE PODER.
É isto, não há o que distorcer.
Decreto preparatório para qual regime ditatorial Gandra?
Não pira!
Parece que pagaram pra ele falar essas coisas tão "Senso comum" sem nenhum termo jurídico que qualificasse suas fundamentações, nem parece ele.

Será que é a edição? Cortaram quase tudo?
Ou será... que se vendeu mesmo???

quem sabe...
Após buscar na internet, encontrei este site que também compartilha a mesma opinião:

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2010/01/462797.shtml
o site ainda cita:
"Criado o cenário para o desgaste do governo, o repórter Sandro Barboza inicia a entrevista com "um dos mais conceituados juristas internacionais", Ives Gandra. O "jornalista", que também não esconde suas posições direitistas nas perguntas, apenas deixa de informar aos telespectadores que o bajulado especialista participou da campanha presidencial de Geraldo Alckmin (o tucano que é seguidor do Opus Dei) e defende tudo o que é há de mais retrógrado e conservador na sociedade brasileira.

"Logo na abertura do Jornal da Band, o âncora, que é metido a dono da verdade, dá a sua opinião tendenciosa. "O novo decreto de direitos humanos do governo é criticado pela sociedade e até por ministros de estado. A lei estabelece censura aos meios de comunicação, é contra o direito de propriedade e de liberdade religiosa. Especialistas consideram o projeto o primeiro passo para um regime ditatorial". Boris Casoy mente descaradamente ao tratar o plano como uma imposição autoritária do presidente, já que ele será debatido no parlamento. Quanto aos tais especialistas, ele ouve somente uma "personalidade" ligada à ditadura, ao latifúndio e aos setores mais reacionários da sociedade.

VISÃO TENDENCIOSA E ELEITOREIRA

AÉCIO ENCOMENDOU QUEBRA DE SIGILO DA FILHA DE SERRA. PROVADO.




" Em depoimento à Policia Federal, o jornalista Amaury Ribeiro Jr., confessa que fez um dossiê contra o então pré candidato Jose Serra, que disputava a indicação no PSDB com o então governador Aécio Neves.
Na época, 2009, ele trabalhava no jornal Estado de Minas, defensor da candidatura de Serra.
Informado que o deputado Marcelo Itajiba – PSDB/RJ, estava preparando um Dossiê contra Aécio,  o jornal encomendou o Dossiê e ele viajou à São Paulo para encomendar a quebra de sigilo fiscal da filha de Serra e de outros tucanos.
O Dossiê contra Serra, em defesa de Aécio,  ficou pronto no jornal, a decisão no PSDB foi resolvida em prol de Serra, (após um celebre artigo publicado no Estadão sob o titulo: “Pó Pará, Governador” de ataques a Aécio)  perdendo portanto sua utilidade, tendo o jornalista saído do jornal levando uma copia para posteriormente transformar em livro.

Amaury disse a PF que decidiu fazer a investigação depois de descobrir que o deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) estaria comandando um grupo de espionagem a serviço de José Serra para devassar a vida do ex-governador Aécio Neves.

NA FOLHA DE SÃO PAULO: “O repórter disse que iniciou seu trabalho de investigação quando era funcionário do jornal “Estado de Minas”, para “proteger” o ex-governador tucano Aécio Neves que à época disputava internamente no PSDB a candidatura à Presidência.
Amaury não admitiu que pagou pelos dados nem que pediu a quebra de sigilo fiscal dos tucanos. O despachante Dirceu Rodrigues Garcia, porém, declarou a PF que o jornalista desembolsou R$ 12 mil em dinheiro vivo e que entregou a ele as informações protegidas por lei.
MAS OS JORNAIS BOTARAM EM MANCHETE O SECUNDÁRIO:
O Estado de São Paulo: “Jornalista ligado a campanha de Dilma confessa violação de sigilo de tucanos”
Folha de São Paulo: “Polícia Federal liga quebra de sigilo a pré-campanha de Dilma”"

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Poema obsceno - Ferreira Gullar


 
Façam a festa
          cantem e dancem
que eu faço o poema duro
                                  o poema-murro
                                  sujo
                                  como a miséria brasileira 


       Não se detenham:
       façam a festa
                             Bethânia Martinho
                             Clementina
       Estação Primeira de Mangueira Salgueiro
       gente de Vila Isabel e Madureira
                                                           todos
                                                           façam
                     a nossa festa
enquanto eu soco este pilão
                            este surdo
                                  poema
que não toca no rádio
que o povo não cantará
(mas que nasce dele)
Não se prestará a análises estruturalistas
Não entrará nas antologias oficiais
                      Obsceno
como o salário de um trabalhador aposentado
                      o poema
terá o destino dos que habitam o lado escuro do país
                      - e espreitam.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Gilmar Mendes será denunciado na ONU por telefonema de Serra

Por:

O suposto telefonema do presidenciável José Serra (PSDB) ao ministro Gilmar Mendes, durante uma audiência no Supremo Tribunal Federal (STF), levou a ONG Justiça Global e uma série de outras organizações de direitos humanos a encaminhar uma denúncia para as Nações Unidas, devido às suspeitas de falta de independência do magistrado. A ligação telefônica, segundo reportagem da Folha de S.Paulo, teria ocorrido na quarta-feira 29, durante o julgamento de recurso do PT contra a obrigatoriedade de o eleitor portar dois documentos no dia da votação.

O recurso já havia sido acolhido por sete dos atuais dez ministros da Corte (Eros Grau se aposentou e ainda não foi substituído) quando Mendes decidiu pedir vistas do processo. No dia seguinte, votou contra a requisição petista. De toda maneira, a votação terminou em oito votos favoráveis e dois contra. E, agora, o eleitor pode se apresentar no pleito com qualquer documento de identificação oficial com foto. Vitória do PT, que temia que os eleitores de baixa renda e escolaridade deixassem de votar em função da exigência de dois documentos

O ex-advogado geral da União no governo Fernando Henrique Cardoso, foi acusado outras vezes de atuar de forma parcial no Supremo. “Em diversos casos, o magistrado se pronunciou antes de avaliar os autos do processo e emitiu opiniões contestáveis, por exemplo, ao criminalizar a atuação de movimentos sociais, como o MST”, afirma a advogada. “É por isso que está tomando corpo um movimento pelo impeachment de Mendes. Não temos posição firmada a esse respeito, mas consideramos que esse caso do suposto telefonema de Serra ao ministro, durante o julgamento de um recurso apresentado pelo partido de sua principal oponente nas eleições, deve ser criteriosamente investigado. E, caso se comprove a falta de autonomia, o magistrado precisa ser punido”.

Leia mais:
http://www.cartacapital.com.br/politica/gilmar-mendes-sera-denunciado-na-onu-por-telefonema-de-serra

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Debate Globo

Hélio Costa, um macaco véio, político manjado.. Meu voto não é seu, mas agradeço por ontem, dominando o debate, representando o povo, jogando pro ventilador os déficits do governo Anastasia, um governo marqueteiro, ditador, que desrespeita a liberdade de imprensa, e desta forma desrespeita todos os princípios democráticos, a Carta Maior e a democracia plena.

Obrigada por denunciar os gastos exorbitantes com obras, cidades administrativas e propaganda política de Aécio e seu chaveirinho!

 E o desprezo de ambos com o salário dos professores e a saúde.

Professor Luiz Carlos, que bom que aproveitou a deixa e denunciou a PRIVATIZAÇÃO do estado de Minas Gerais, desde as cadeias "públicas" à saúde e educação.

Parabéns pela proposta TÃO superior. É por isso que meu voto é seu!!!


Ontem a Globo não pôde fazer nada pra proteger a sua laia, a imprensa não pôde ser calada pelo pequeno Anastasia.

O debate de ontem me lembrou Caetano:
"Derrama o leite bom na minha cara
E o leite mau na cara dos caretas!"


Luara.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Entenda mais sobre a mudança do código florestal

"Novo" código Florestal: Farsa da sustentabilidade do Agronegócio



O Estatuto da Terra, presente na legislação brasileira (Lei 4504/64), garante que toda e qualquer atividade que se realize sobre a terra deve cumprir sua função social. Para se cumprir a função social deve-se garantir três elementos básicos: produtividade; respeito às leis trabalhistas e preservação ambiental. O primeiro tem sido o principal fator de desapropriações de terras para reforma agrária, porém os outros dois elementos também podem ser responsáveis por isto. A flexibilização do Código Florestal dificultaria a desapropriação de terras para fim de reforma agrária, contribuindo para manter a concentração de terras no Brasil.

As atuais mudanças no Código Florestal Brasileiro vêm sendo estruturadas desde julho de 2008, após um decreto Federal que definia multas e punições para quem não cumprisse as demandas do Código. Em 2009 foi criada uma Comissão Especial sobre o Código Florestal com 18 membros sendo 13 deles componentes da Bancada Ruralista.
Uma das mudanças que mais interessa a Bancada Ruralista está relacionada ao “Programa de Regularização Ambiental”. Todos os fazendeiros que suprimiram de forma irregular a vegetação nativa, antes do dia 22 de julho de 2008, e aderirem ao “programa”, teriam atividades agropecuárias e florestais nas áreas de preservação permanente e reserva legal asseguradas e não poderiam ser autuados pelas infrações. Além de ser suspensa a cobrança das multas.

Áreas frágeis à intervenção humana perderiam a proteção ambiental. As conseqüências desta medida seriam: o assoreamento dos rios, perda da fertilidade dos solos por erosão, perda de biodiversidade, disponibilidade de água, entre outros prejuízos para produção agrícola.


Ato do ME, e Movimentos Sociais contra a aprovação do "novo" Código Florestal... na UFV durante o Seminário do Meio Ambiente .


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

"... O Governo do Estado, que não constrói nenhuma casa em Belo Horizonte há mais de 15 anos, também não oferece nenhuma alternativa digna..."

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

TORRES GEMEAS: O povo está na rua, Anastasia a culpa é sua

Por: http://ocupacaodandara.blogspot.com/2010/09/torres-gemeas-o-povo-esta-na-rua.html


"Governo do Estado e Prefeitura impedem famílias das Torres Gêmeas (prédio nº 100) de voltarem para suas casas e não oferecem nenhuma alternativa digna. Enquanto isso, crianças, adultos e idosos ficam ao relento.
Desde a última segunda-feira, dia 20 de setembro, cerca de 80 famílias que moram no prédio nº 100 da ocupação vertical mais antiga de Belo Horizonte estão impedidas pela Polícia Militar e pelo Corpo de Bombeiros de retornarem para seus apartamentos. A PM, comandada pelo Governador Antônio Anastasia, cercou ostensivamente o prédio em que ocorreu o incêndio e mantém guarda com armas de grosso calibre, cães, bombas etc. O Corpo de Bombeiros, por sua vez, nega-se a apresentar o resultado do laudo da perícia realizado ontem (21/09) atestando se houve ou não comprometimento da estrutura do edifício. Ao mesmo tempo, as organizações que apóiam as famílias são impedidas de realizar perícia complementar com engenheiros e arquitetos autônomos.
Esse quadro de incertezas é agravado pela postura do Governo Estadual e Municipal em não dialogar, como em outros conflitos urbanos de BH. A Prefeitura solta notas à imprensa, mas não oferece nenhuma resposta às famílias desalojadas. O prefeito Márcio Lacerda mantém a postura de intransigência e propõe como solução o abrigamento indigno. O Governo do Estado, que não constrói nenhuma casa em Belo Horizonte há mais de 15 anos, também não oferece nenhuma alternativa digna.

A negligência das autoridades de Minas Gerais no trato dos conflitos urbanos tem gerado problemas ainda maiores. Essa situação das Torres Gêmeas  já poderia ter sido resolvida há muitos anos se o Município cumprisse a Constituição da República e o Estatuto das Cidades (Lei nº. 10.257/01) que determinam a desapropriação dos imóveis urbanos que não cumprem a função social
Além disso, em 2005, foi aprovado projeto de reforma das Torres com observância de todas as normas técnicas de segurança, inclusive instalação de elevadores. Porém, apesar da aprovação do Projeto pela CAIXA e liberação dos recursos pelo Governo Federal, a Prefeitura de Belo Horizonte não aceitou ser a garantidora do financiamento que seria de apenas R$ 18.000,00 por família, valor muito inferior ao gasto pelo Poder Público na construção de novos empreendimentos habitacionais. Em resumo, a desapropriação e reforma dos prédios fica muito mais barato para os cofres públicos do que o reassentamento em novas unidades, a não ser que se pretenda reassentar as famílias sob os viadutos e calçadas da cidade...

Estado e Prefeitura investem bilhões e bilhões em grandes obras, apresentam projeto faraônico de intervenções na cidade em função da Copa do Mundo, mas se negam a buscar uma solução digna para as famílias que não podem retornar para seus lares onde vivem há mais de 14 anos. Para ilustrar, o montante gasto pelo Estado para a construção do novo Centro Administrativo seria suficiente para diminuir pela metade o déficit habitacional de Belo Horizonte

Para os pobres, o Choque de Gestão é Batalhão de Choque.
A cada instante a situação se agrava. Não bastasse o desalojamento do prédio 100, aumentou muito o risco de despejo das famílias do prédio nº 64. O desespero está tomando conta dos desalojados e o desespero é um mau conselheiro... Por outro lado, a posição do Prefeito e do Governador corrói a esperança de uma solução atenta à dignidade dessas famílias. Bem sabemos que ambos estão atrelados aos interesses da especulação imobiliária que cresceram muito na região, sobretudo com a construção do Shopping Boulevard que será inaugurado nos próximos dias.
Em vista da situação, conclamamos a solidariedade de entidades, movimentos e organizações em defesa do direito de morar dessas famílias. A derrota das Torres Gêmeas, após 14 anos de resistência, representa a vitória de um projeto de cidade vedada aos pobres. "

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Revista Vexatória - NÃO.


RESOLUÇÃO Nº. 330 DE NOV/2009 - Art 5º: "A revista manual só se efetuará em caráter excepcional, ou seja, quando houver fundada suspeita de que o revistando é portador de objeto ou substâncias proibidos legalmente e/ou que venha a por em risco a segurança do estabelecimento."

Não obstante a maneira desregrada com que os procedimentos de revista são executados, o Estado foi além. Ante a ausência de limites para a realização da revista manual, passou a permitir a chamada "revista íntima".

"Vê-se, pois, que, ante a ausência de autorização judicial, a regra para a realização de revista preventiva em estabelecimentos penais é a revista indireta, ou seja, aquela em que não há contato físico entre o agente público e o revistado, realizada por meio de aparelhos de detectores de metal ou espectrômetros. Já, nos casos de fundada suspeita, excepcionalmente, é permitida a revista direta, manual, superficial, realizada sobre o corpo e a roupa do revistado.

Porém, não é o que se observa nos estabelecimentos penais espalhados pelo Brasil. A escolha para submissão à revista corporal trata-se de verdadeiro exercício de premunição, vez que a imposição ao procedimento, sem qualquer fato ou diligência anterior, baseia-se na possibilidade de ocorrência de evento remoto, como se o responsável pelo procedimento de revista tivesse o condão de prever algo futuro e incerto apenas ao olhar para o visitante, presumindo que o mesmo seja portador de materiais, objetos ou substâncias proibidos. (...)

Ora, se é certo que a pena imposta ao preso não pode dele ultrapassar, atingindo terceiros que estão ali para visitá-lo, pergunta-se: Que infração foi cometida por tal grupo de pessoas (mulheres e crianças/adolescentes) para se tornar preventiva/presumidamente suspeito de trazer consigo objeto, produto ou substância proibidos?"

REVISTA VEXATÓRIA - NÃO.